Notas iniciais de pesquisa: mapeando a presença de mulheres como titulares de acervos em instituições de memória em Santa Catarina

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724623512022440

Palavras-chave:

acervos, arquivos de mulheres, escrita da história, instituições de memória, Santa Catarina

Resumo

Tomando como ponto de partida a Lei nº 18.226 de 2021, que inclui a História das Mulheres do Campo e da Cidade no currículo escolar da educação básica em Santa Catarina, o presente artigo discorre sobre os momentos iniciais de pesquisa que tem como objetivo mapear a presença de mulheres como titulares de arquivos abrigados em diferentes instituições de memória em Santa Catarina. O arcabouço teórico-metodológico da pesquisa está apoiado em debates que relacionam memória e história, arquivo, arquivos pessoais, escrita da história e história das mulheres. Com base na divisão regional do estado, a pesquisa iniciou com contatos por meio virtual com essas instituições e posterior organização dos dados em planilhas. Levando em conta as poucas respostas recebidas, percebeu-se, além de uma dificuldade de entendimento acerca do que seria exatamente o objeto da pesquisa, que a presença das mulheres como protagonistas ainda é bastante tímida nesses espaços institucionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karla Simone Willemann Schütz, Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC

Doutora em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC. Professora de História da rede pública e da rede privada de ensino.

Susane da Costa Waschinewski, Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC

Doutora em Educação pela Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC. Professora da rede pública municipal de Criciúma.

Referências

ARQUIVO NACIONAL. Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005. 232 p. (Publicações Técnicas, 41). Disponível em: http://www.arquivonacional.gov.br/images/pdf/Dicion_Term_Arquiv.pdf. Acesso em: 10 out. 2021.

BRASIL. Lei nº 8.159, de 8 de janeiro de 1991. Dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8159.htm Acesso 20 dez. 2021.

BRUHNS, Katiane. Museu Histórico de Santa Catarina: discurso, patrimônio e poder (1970- 1990). 2010. Tese (Doutorado em História) – UFSC, Florianópolis, 2010. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/93480/276489.pdf?sequence=1. Acesso em: 6 set. 2020.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida; BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Dicionário de terminologia arquivística. São Paulo: Associação dos Arquivistas Brasileiros - Núcleo Regional de São Paulo: Secretaria de Estado da Cultura, 1996.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida. Arquivos pessoais são arquivos. Revista do Arquivo Público Mineiro, Belo Horizonte, n. 2, p. 26-39, jul./dez. 2009. Disponível em:http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/acervo/rapm_pdf/2009-2-A02.pdf Acesso em: 04 out. 2021.

COOK, Terry; SCHWARTZ, Joan M. Arquivos, documentos e poder: a construção da memória moderna. Revista do Arquivo Público Municipal de Indaiatuba, Indaiatuba, v. 3, n. 3, jul. 2004.

CUNHA, Maria Teresa Santos. (Des)Arquivar: arquivos pessoais e ego-documentos no tempo presente. São Paulo: Florianópolis: Rafael Copetti Editor, 2019.

DERRIDA, Jacques. Mal de arquivo: uma impressão freudiana. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

ENGEL, Magali Gouveia; GUERELLUS, Natália de Santanna; SOIHET, Rachel. Apresentação. Revista Acervo, Rio de Janeiro, v. 33, n. 2, p. 7-11, 2020. Disponível em: http://revista.arquivonacional.gov.br/index.php/revistaacervo/issue/view/81. Acesso em: 20 out. 2021.

FUNDAÇÃO CATARINENSE DE CULTURA. Informativo Sistema Estadual de Museus, n. 52, nov. 2021. Disponível em: https://mailchi.mp/a4542a7a9652/informativo-do-semsc-8914837?e=cb92611f88. Acesso em: 20 dez. 2021.

GONÇALVES, Janice. Sombrios umbrais a transpor: arquivos e historiografia em Santa Catarina no século XX. 2006. Tese (Doutorado em História Social) – USP, São Paulo, 2006.

HEYMANN, Luciana; NEDEL, Letícia (orgs.). Pensar os arquivos: uma antologia. Rio de Janeiro: FGV, 2018.

INSTITUTO DE ESTUDOS BRASILEIROS. Ações e parcerias. [São Paulo]: Instituto de Estudos Brasileiros USP, 2019. Disponível em: https://www.ieb.usp.br/arquivo-acoes-e-parcerias/ Acesso em: 20 nov. 2021.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2006

PEDRO, Joana Maria. Traduzindo o debate: o uso da categoria gênero na pesquisa histórica. História, Franca, v. 24, n. 1, p. 77-98, 2005.

PERROT, Michelle. Práticas da memória feminina. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 9, n. 18, p. 09-18, ago./set. 1989.

PISTORELLO, Daniela. O Brasil da diversidade?: patrimônio e paisagem cultural no Projeto Roteiros Nacionais de Imigração. Tese (Doutorado em História) – Unicamp, Campinas, 2015. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/281121. Acesso em: 21 out. 2021.

RABELO, Juliana. Santa Catarina está entre os estados mais feminicidas na pandemia. Portal Catarinas, 2021. Disponível em: https://catarinas.info/santa-catarina-esta-entre-os-estados-mais-feminicidas-na-pandemia/ Acesso em: 8 dez. 2021.

RICOEUR, Paul. A representação historiadora. In: RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Unicamp, 2007. p. 247-301.

ROSEMBERG, Fúlvia. Mulheres educadas e a educação de mulheres. In: PINSKY, Carla Bassanezi; PEDRO, Joana Maria (org.). Nova história das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012. p. 333-359.

SANTA CATARINA. Lei nº 18.226, de 13 de outubro de 2021. Inclui como conteúdo transversal, no currículo das escolas públicas e privadas do Estado de Santa Catarina, a História das Mulheres do Campo e Cidade em Santa Catarina. [Florianópolis]: Governo do Estado de Santa Catarina, 2021. Disponível em: https://leisestaduais.com.br/sc/lei-ordinaria-n-18226-2021-santa-catarina-inclui-como-conteudo-transversal-no-curriculo-das-escolas-publicas-e-privadas-do-estado-de-santa-catarina-a-historia-das-mulheres-do-campo-e-cidade-em-santa-catarina. Acesso em: 27 abr. 2022.

SIMIONI, Ana Paula Cavalcanti; ELEUTÉRIO, Maria de Lourdes. Mulheres, arquivos e memórias. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, São Paulo, n. 71, p. 19-27, dez. 2018.

TRAVERSO, Enzo. Historia e memoria: notas sobre un debate. In: FRANCO, Marina; LEVIN, Florência. Historia reciente: perspectivas y desafios para un campo en construcción. Buenos Aires: Paidós, 2007. p.67-96.

Downloads

Publicado

2022-05-13

Como Citar

SCHÜTZ, K. S. W.; WASCHINEWSKI, S. da C. Notas iniciais de pesquisa: mapeando a presença de mulheres como titulares de acervos em instituições de memória em Santa Catarina. PerCursos, Florianópolis, v. 23, n. 51, p. 440 - 465, 2022. DOI: 10.5965/1984724623512022440. Disponível em: https://www.periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/21575. Acesso em: 14 ago. 2022.