O pensamento de Milton Santos e a análise crítica do planejamento corporativo do território

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724623512022136

Palavras-chave:

Milton Santos, planejamento territorial, uso corporativo

Resumo

O presente artigo busca analisar a contribuição do geógrafo Milton Santos para o campo do planejamento territorial. Para isso, traça-se um diagnóstico sobre os principais aportes teóricos e metodológicos que foram desenvolvidos e se desdobram em agendas de pesquisa a respeito do tema, tendo como referência as categorias e abordagens de inspiração miltoniana. Como resultado, verifica-se que o planejamento visto como uma técnica, sob a aura de neutralidade, tem servido à subordinação dos países subdesenvolvidos (ou periféricos) aos ditames de uma globalização cada vez mais predatória dos recursos naturais e das condições de vida da população. Sob essa lógica, sustenta-se que o planejamento tem servido como correia de transmissão da lógica global capitalista, verticalizada e importada à formação socioespacial brasileira por agentes corporativos. Por meio das análises e das categorias miltonianas, o texto que se apresenta discute as principais causas e consequências desse processo. Propondo um olhar sobre o território usado, tomando a escala da formação socioespacial, o texto destaca ainda as intencionalidades que levaram e levam ao uso cada vez mais corporativo do território.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sérgio Henrique de Oliveira Teixeira, Universidade Federal da Integração Latino-Americana – UNILA

Doutor em Geografia pela Universidade Estuadual de Campinas – UNICAMP. Professor da Univ. Federal da Integração Latino-Americana – UNILA.

Referências

ANTAS JR., Ricardo Mendes. Território e regulação: espaço geográfico, fonte material e não formal do direito. São Paulo: Associação Editorial Humanitas: Fapesp, 2005.

ANTUNES, Ricardo. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 1999.

BANCO MUNDIAL. Retomando o caminho para a inclusão, o crescimento e a sustentabilidade. Brasil: Diagnóstico Sistemático de País, jun. 2016.

BELL, Daniel. O advento da sociedade pós-industrial. São Paulo: Cultrix, 1974.

BRANDÃO, Antônio C. Território e desenvolvimento: as múltiplas escalas entre o local e o global. Campinas: Editora da UNICAMP, 2007.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 13.303 de 30 de junho de 2016. Brasília: Casa Civil, Subchefia de assuntos jurídicos, 2016. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/lei/l13303.htm. Acesso em: 20 mar 2022.

CASTELLS, Manuel. A era da informação: economia, sociedade e cultura: a sociedade em rede. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001.

DARDOT, Pierre.; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. Tradução Mariana Echalar. São Paulo: Boitempo, 2016.

DONADONE, Júlio C. “Os Hunos já chegaram!”: dinâmica organizacional, difusão de conceitos gerenciais e a atuação das consultorias. 2001. Tese (Doutorado em Engenharia de Produçã) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

HABERMAS, Jurgen. Teoria de la acción comunicativa: complementos y estudios previos. Madrid: Cátedra, 1982.

HARVEY, David. A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992.

HARVEY, David. O novo imperialismo. São Paulo: Loyola, 2004.

HARVEY, David. A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume, 2005.

HARVEY, David. Os limites do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

LEFEBVRE, Henry. A revolução urbana. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2004.

LEITE, Gabriel C. Por um ordenamento cívico do território: uma reflexão crítica sobre o planejamento urbano e regional a partir da obra de Milton Santos / Gabriel Carvalho da Silva Leite. 2019. 499 f. Dissertação (Mestrado em Planejamento do Desenvolvimento). Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido, Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, Universidade Federal do Pará, Belém, 2019.

LIMONAD, Ester. Muito além do jardim: planejamento ou urbanismo, do que estamos falando? In: COSTA, Geraldo. M.;

MONTE-MÓR, Roberto L. M. (org.). Teorias e práticas urbanas: condições para a sociedade urbana. Belo Horizonte: C/Arte, 2015. p. 71-102

LOJKINE, Jean. A revolução informacional. São Paulo: Cortez, 1995.

LYOTARD, Jean-François. O pós-moderno. Rio de Janeiro, José Olympio, 1986.

MATTELART, Armand. Comunicação-mundo: história das ideias e das estratégias. Petrópolis: Editora Vozes, 1994.

MANZONI NETO, Alcides. O novo planejamento territorial: empresas transnacionais de consultoria, parcerias público-privadas e o uso do território brasileiro. 2007. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. 2007.

RAFFESTIN, Claude. Por uma geografia do poder. Tradução Maria Cecília França. São Paulo: Ática, 1993.

RANDOLPH, Rainer. Do planejamento colaborativo ao planejamento “subversivo” - refle-xões sobre limitações e potencialidades de Planos Diretores no Brasil. Scripta Nova, Revista eletrônica de geografia y ciências sociales, [Barcelona], n. 11, p. 245-17, 2008. http://www.ub.es/geocrit/sn/sn-24517.htm. Acesso em: 20 mar 2022.

RANDOLPH, Rainer. Superando abordagens colaborativa e agonística do planejamento: ca-minhos para sua radicalização por meio de ações subversivas. Cadernos Metrópole, [São Paulo], v. 21, n. 44, p. 99-117, 2019.

RAMALHO, Mario. L. Território e macrossistema elétrico nacional: as relações entre privatização, planejamento e corporativismo. 2006. 185 f. Dissertação (Mestrado em Geografia Humana) – Departamento de Geografia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

SANTOS, Milton. Society and space: social formation as theory and method. Antipode, [Paris], v. 9, n. 1, p. 3-13, Jan./Feb. 1977.

SANTOS, Milton. Metrópole corporativa e fragmentada: o caso de São Paulo. São Paulo: Nobel, 1990.

SANTOS, Milton. A urbanização brasileira. São Paulo: Hucitec, 1993.

SANTOS, Milton. O retorno do território. In: SANTOS, Milton; SILVEIRA, M. L.; SOUZA, M. A. (org.) Território: globalização e fragmentação. São Paulo: Hucitec: Anpur, 1994. p. 15-20.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2000.

SANTOS, Milton. Uma ordem espacial: a economia política do território. GeoINova, Lisboa, n. 3, p. 33-48, 2001.

SANTOS, Milton. O espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. São Paulo: EDUSP, 2004.

SANTOS, Milton. Por uma geografia nova: da crítica da geografia a uma geografia crítica. São Paulo: EDUSP, 2004.

SANTOS, Milton. Da totalidade ao lugar. São Paulo: EDUSP, 2005.

SANTOS, Milton. Economia espacial: críticas e alternativas. São Paulo: EDUSP, 2007.

SANTOS, Milton. O centro da cidade de Salvador: estudo de Geografia Urbana. São Paulo: EDUSP; Salvador: EDUFBA, 2008.

SANTOS, Milton. Por uma economia política da cidade: o caso de São Paulo. 2. ed. São Paulo: EDUSP, 2012.

SANTOS, Milton. O trabalho do geógrafo no Terceiro Mundo. São Paulo: EDUSP, 2013.

SANTOS, Milton. O espaço do cidadão. São Paulo: EDUSP, 2014.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: espaço e tempo, razão e emoção. 3. ed. São Paulo: Hucitec, 2020.

SANTOS, Milton; SILVEIRA, Maria L. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2001.

SILVA, Adriana M. B. A contemporaneidade de São Paulo: produção de informações e novo uso do território brasileiro. 2001. 283 f. Tese (Doutorado em Geografia Humana) – Departamento de Geografia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

SILVA, Adriana M. B. As grandes empresas de consultoria, a produção de informações e os novos círculos de cooperação no território brasileiro. In: ENCONTRO DE GEÓGRAFOS DA AMÉRICA LATINA, 10., 2005, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: USP, 2005.

SILVA, Adriana M. B. Círculos globais de informações e uso corporativo do território brasileiro: privatizações e planejamento territorial a partir dos anos 1990. Cadernos IPPUR/UFRJ, [Rio de Janeiro], v. XXIII, p. 09-32, 2009.

SILVA, Adriana M. B.; TEIXEIRA, Sérgio H. O. Planejamento corporativo do território brasileiro: contribuição geográfica à análise crítica da concessão aeroportuária. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [s. l.], v. 23, n. 2, p. 242-261, 2019.

SOUZA, Maria A. A. de (org.). Território brasileiro: usos e abusos. Campinas: Edições Territoriais, 2003.

SOUZA, Marcelo L. Mudar a cidade: uma introdução crítica ao planejamento e à gestão urbanos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

TEIXEIRA, Sérgio H. O. Círculos de informações e usos do território: grandes empresas de consultoria e a gestão da privatização no Brasil. 2013. 125 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia, Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2013.

TEIXEIRA, Sérgio H. O. Planejamento, informação e circulação: as concessões dos aeroportos brasileiros e os usos corporativos do território. 2018. 333 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia, Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2018.

TEIXEIRA, Sérgio H. O. Planejamento corporativo e concessão aeroportuária no Brasil. Mercator, [Fortaleza], v. 17, p. 1-15, 2018.

TEIXEIRA, Sérgio H. de O.; SILVA, A. M. B. Os usos da informação estratégica sobre o território: a empresa de consultoria PricewaterhouseCoopers e o planejamento territorial. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais (ANPUR), [Rio de Janeiro], v. 13, p. 71-86, 2011.

TEIXEIRA, Sérgio H. de O.; SILVA, A. M. B. Informação e planejamento corporativo: a consultora Deloitte e suas articulações no território brasileiro. Boletim Goiano de Geografia, [Goiânia] v. 39, p. 1-22, 2019.

TODESCO, Carolina. Estado e produção terceirizada de políticas públicas de turismo para a Amazônia Legal: uma análise fundada nas dimensões da vida política. 2013. 257 f. Tese (Doutorado em Geografia Humana) – Departamento de Geografia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

TOZI, Fábio. As privatizações e a viabilização do território como recurso. 2005. 207 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia, Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005.

TOMELIN, Mário. Quaternário: seu espaço e poder. Brasília: Ed. UnB, 1988.

VAINER, Carlos B. Fragmentação e projeto nacional: desafios para o planejamento territorial. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais (ANPUR), [Rio de Janeiro] v. 9, p. 09-23, 2007.

Downloads

Publicado

2022-05-13

Como Citar

TEIXEIRA, S. H. de O. O pensamento de Milton Santos e a análise crítica do planejamento corporativo do território. PerCursos, Florianópolis, v. 23, n. 51, p. 136 - 166, 2022. DOI: 10.5965/1984724623512022136. Disponível em: https://www.periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/21082. Acesso em: 5 jul. 2022.