Tecnologia da sobrevivência: saberes e novos usos na ocupação Cidade Locomotiva em Ribeirão Preto/SP

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724623512022105

Palavras-chave:

periferia urbana, ocupação urbana, Ribeirão Preto/SP

Resumo

No artigo propõe-se um diálogo com a teoria do espaço geográfico elaborada por Milton Santos incorporando a ideia, discutida pela autora, de tecnologia da sobrevivência como uma junção entre saberes ancestrais, conhecimentos, técnica e tecnologia para a construção cotidiana da periferia urbana. Compreendida como espaço opaco, a periferia é concomitantemente rugosidade, resistência e atualização da modernização seletiva do espaço urbano. Sugere-se, a partir disso, que a sobrevivência nesses lugares exige uma racionalidade alternativa para sua construção diária. A partir da ocupação denominada Cidade Locomotiva, construída na cidade de Ribeirão Preto, interior do estado de São Paulo, analisa-se como a população que nela reside construiu e constrói esse lugar por meio da tecnologia da sobrevivência. A metodologia aplicada para a realização dessa pesquisa foi revisão bibliográfica, consulta a fonte de dados secundários e acesso a dados primários por meio de visitas técnicas com o poder público local, as lideranças e moradores/as da ocupação, além de trabalhos de campo durante o período de dois anos. Busca-se, assim, demonstrar o conhecimento que essa população possui sobre os vetores da modernização e os limites impostos à sua vida diariamente. Além de compreender como a tecnologia da sobrevivência, uma modernidade alternativa constituída no cotidiano do lugar, é resistente, ainda que também reprodutora, da urbanização corporativa brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helena Rizzatti, Universidade Estadual de Maringá – UEM

Doutora em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Professora do Departamento de Geografia do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, da Universidade Estadual de Maringá – UEM.

Referências

ABENÇOADO. [Entrevista cedida a] Helena Rizzatti Fonseca, Ribeirão Preto (SP), 06 fev. 2018.

BAIXINHO. [Entrevista cedida a] Helena Rizzatti Fonseca, Ribeirão Preto (SP), 06 fev. 2018.

BRANDÃO, Carlos. Território & desenvolvimento: as múltiplas escalas entre o local e o global. Campinas: Unicamp, 2012.

BRASIL. Ministério das Cidades. Secretaria Nacional De Saneamento Ambiental – SNSA. Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento – SNIS: diagnóstico dos serviços de água e esgoto - 2016, Brasília, DF: SNSA/MCIDADES, 2018. 220 p. Disponível em: http://www.snis.gov.br/diagnostico-anual-agua-e-esgotos/diagnostico-ae-2016. Acesso em: 31 ago. 2021.

CANO, Wilson. Raízes da concentração industrial em São Paulo. 5. ed. Campinas: Unicamp, 2007.

COLLINS, Patricia Hill. Pensamento feminista negro: conhecimento, consciência e a política do empoderamento. São Paulo: Boitempo, 2019.

D’ANDREA, Tiaraju. Contribuições para a definição dos conceitos periferia e sujeitas e sujeitos periféricos. Novos Estudos, São Paulo: Cebrap, v. 39, n. 1, p. 19-36, jan./abr. 2020.

DE CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano. Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 2003.

ECHEVERRÍA, Bolívar. Acepciones de la Ilustración, en modernidad y blanquitud. Ciudad de México: Ed. Era, 2010.

FEDERICI, Silvia. Calibã e a bruxa: mulheres, corpo e acumulação primitiva. Tradução Coletivo Sycorax. São Paulo: Editora Elefante, 2017.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 9. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1989.

GORZ, André. O imaterial: conhecimento, valor e capital. São Paulo: Annablume, 2005.

HOOKS, bell. Choosing the margins as a space radical openness. p. 223-225. In: HOOKS, bell. Yearnig: race, gender and cultural politics. Tradução não publicada de Camila Matos. Cambridge: South End Press, 1990.

KIDOIALE, Makota; MUIANDÊ, Mametu N'Kise. Senzala, terreiro, quilombo. Piseagrama, Belo Horizonte, n. 12, p. 52-61, 2018. Disponível em: https://piseagrama.org/senzala-terreiro-quilombo/. Acesso em: 22 ago. 2021.

LAVAL, Christian; DARDOT, Pierre. La nueva razón del mundo. Barcelona: Gedisa S. A., 2013.

MESTRE, Ana Paula. Sentidos da modernização na periferia da metrópole: o consumo de energia elétrica na economia dos pequenos em Heliópolis-SP. 2015. Tese (Doutorado em Geografia) – IG, Universidade de Campinas (Unicamp), Campinas, 2015.

MILLÁN, Margara. Crisis civilizatoria, movimientos sociales y prefiguraciones de una modernidad no capitalista. Acta sociológica, Ciudad de México, DF, n. 62, p. 45-76, sept./dic. 2013.

NASCIMENTO, Maria Beatriz. Quilombo: em Palmares, na favela, no carnaval [1977]. In: União dos Coletivos Pan-Africanistas – UCPA (org.). Coletânea Beatriz Nascimento, Quilombola e Intelectual: possibilidades nos dias da destruição. Diáspora africana: Filhos da África, 2018. p. 189-194.

RIBEIRO, Ana Clara Torres. Sociabilidade hoje: leituras da experiência urbana. Cadernos CRH, Salvador, v. 18, n. 45, p. 411-422, 2005.

RIBEIRO, Ana Clara Torres. O desenvolvimento local e a arte de ‘resolver’ a vida. In: POR UMA SOCIOLOGIA DO PRESENTE: ação técnica e espaço. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2013. p. 75-89.

RIZZATTI, Helena; SILVA, Adriana Bernardes da. Cidades e contra-racionalidades: ocupações urbanas em Campinas/SP (do Parque Oziel ao Jardim Campo Belo). Ra’eGa, Curitiba, PR, v. 40, p. 211-230, 2017.

RIZZATTI, Helena. Urbanização corporativa vista pelo avesso: periferização, interseccionalidade e lugar – uma análise a partir das ocupações de terras urbanas. 2020. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade de Campinas (Unicamp), Campinas, 2020.

ROLNIK, Raquel. Guerra dos lugares: a colonização da terra e da moradia na era das finanças. São Paulo: Boitempo, 2015.

SANTOS, Milton. O território e o saber local: algumas características de análise. Cadernos Ippur, Rio de Janeiro, Ano XIII, n. 2, p. 15-26, 1999.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. São Paulo: Record, 2000.

SANTOS, Milton. Por uma geografia nova. São Paulo: Edusp, 2008.

SANTOS, Milton. A urbanização brasileira. São Paulo: Editora Hucitec, 2008.

SANTOS, Milton. Metrópole corporativa e fragmentada: O caso de São Paulo. São Paulo: Edusp, 2009.

SANTOS, Milton. Técnica, espaço e tempo. São Paulo: Hucitec, 2013.

SANTOS, Milton. O espaço do cidadão. São Paulo: Nobel, 2014.

SANTOS, Milton. Da totalidade ao lugar. São Paulo: Edusp, 2014.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: Técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 2017.

SANTOS, Milton; SILVEIRA, María Laura. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. São Paulo: Record, 2001.

SANTOS, Renato Emerson dos. Geografia da ação nas lutas anti-racismo: um olhar aproximativo. In: ENCONTRO

NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL – ENANPUR, 18., 2019, Natal. Anais [...]. Natal: EDUFRN, 2019. 27 f.

SILVA, Adriana M. Bernardes. A contemporaneidade de São Paulo: produção de informações e reorganização do território brasileiro. 2001. Tese (Doutorado em Geografia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, USP, São Paulo, 2001.

SILVA, Cidinha da. Necropolítica X Tecnologias ancestrais de produção de infinitos. Portal Geledés, São Paulo, 14 maio 2020. Disponível em: https://www.geledes.org.br/necropolitica-x-tecnologias-ancestrais-de-producao-de-infinitos/. Acesso em: 12 out. 2020

SILVEIRA, María Laura. Metrópolis brasileñas: un análisis de los circuitos de la economia urbana. Revista Eure, Santiago do Chile, v. XXXIII, n. 100, p. 149-164, 2007.

TELLES, Vera da Silva. Transitando na linha de sombra, tecendo as tramas da cidade (anotações inconclusas de uma pesquisa). In: RIZEK, Cibele; OLIVEIRA, Francisco. A era da indeterminação. São Paulo: Boitempo, 2007. p. 194-218.

TELLES, Vera da Silva. Fronteiras da lei como campo de disputa: Notas inconclusas a partir de um percurso de pesquisa. In: BIRMAN, Patricia et al. Dispositivos urbanos e trama dos viventes: ordens e resistências. Rio de Janeiro: FGV, 2015. p. 509-531.

THÂMARA, Thamyra. A mina que prova que a periferia é dona do conhecimento. Hacker social, ela criou espaço de compartilhamento no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro. Site Huff Post Brasil. [S.l.], 11 jun. 2018. Disponível em: https://www.huffpostbrasil.com/2018/06/10/thamyra-thamara-a-mina-que-prova-que-a-periferia-e-dona-do-conhecimento_a_23455445/?utm_hp_ref=br-homepage&ncid=tweetlnkbrhpmg00000002. Acesso em: 26 jun. 2018.

Downloads

Publicado

2022-05-13

Como Citar

RIZZATTI, H. Tecnologia da sobrevivência: saberes e novos usos na ocupação Cidade Locomotiva em Ribeirão Preto/SP. PerCursos, Florianópolis, v. 23, n. 51, p. 105 - 135, 2022. DOI: 10.5965/1984724623512022105. Disponível em: https://www.periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/20987. Acesso em: 5 jul. 2022.