Funiculí, Funiculà? A isca cultural da italianidade e o processo de gentrificação urbana no centro de Nova Veneza-SC

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724623512022466

Palavras-chave:

Nova Veneza, gentrificação, reformas urbanas, Praça Humberto Bortoluzzi, turismo

Resumo

O artigo inaugura uma investigação sobre um possível processo de gentrificação urbana em município de baixa densidade populacional e com histórico de imigração italiana: a cidade de Nova Veneza | Santa Catarina. O estudo teve por objetivo compreender efeitos iniciais das reiteradas reformas arquitetônicas na Praça Humberto Bortoluzzi – conduzidas pelas investidas do poder público local – nos usos estabelecidos daquele espaço e na transformação urbana do seu entorno, e a estreita relação com o discurso da italianidade. Para dar conta da discussão, partimos da seguinte questão: de que modo as reiteradas reformas da Praça Humberto Bortoluzzi impactam no seu uso e na reconfiguração do seu entorno? Tratou-se de uma pesquisa qualitativa, cujos instrumentos de geração de dados empregados foram observação participante, entrevistas semiestruturadas e conversas informais. A organização textual se apresenta enquanto narrativa, de modo a auxiliar a forma textual, o processo analítico, a descrição espacial e eventuais subjetividades. No campo teórico, as referências utilizadas são de autores provenientes da Antropologia Urbana e do Planejamento Urbano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natalia D’Agostin Alano, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRG

Mestra em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Diretora de Programas Habitacionais na Prefeitura Municipal de São Leopoldo, Rio Grande do Sul.

Natassia D’Agostin Alano, Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC

Mestra em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Doutoranda em Linguística na Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC.

Referências

ARANTES, Antonio. Paisagens paulistanas: transformações do espaço público. Campinas: Editora da Unicamp; São Paulo: Imprensa Oficial, 2000.

ARANTES, Otília. Urbanismo em fim de Linha. São Paulo: Edusp, 1998.

ARANTES, Otília. Uma estratégia fatal. In: ARANTES, O; VAINER, C; MARICATO, E. A cidade do pensamento único: desmanchando consensos. Petrópolis: Vozes, 2002. p. 11-74.

BORTOLOTTO, Zulmar. História de Nova Veneza. Nova Veneza: Prefeitura Municipal, 1992.

BUTLER, Judith. Quadros de guerra: quando a vida é passível de luto. 2.ed. Trad. Sérgio Lamarão e Arnaldo Marque da Cunha. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

BUTLER, Judith. Corpos em aliança e a política das ruas: notas para uma teoria performativa de assembleia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2019.

CALDEIRA, Teresa. Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. São Paulo: 34 LTDA, 2000.

CARDIM, George. Nova Veneza ganha título de Capital Nacional da Gastronomia Típica Italiana. Senado Notícias, Brasília, 18 jun. 2018. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/audios/2018/06/nova-veneza-ganha-titulo-de-capital-nacional-da-gastronomia-tipica-italiana. Acesso em: 21 abr. 2022.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 2. morar, cozinhar. Petrópolis: Vozes, 2003.

FREITAS, Cris. Vandalismo, eleição, festival de corais e outros assuntos do cotidiano. Nova Veneza Online, Nova Veneza, 26 nov. 2015. Disponível em: https://novavenezaonline.com.br/colunistas/cristiane-freitas/vandalismo-eleicao-festival-de-corais-e-outros-assuntos-do-cotidiano/. Acesso em: 19 abr. 2022.

FOUCAULT, Michel. O nascimento da biopolítica. São Paulo: Martins Fontes, 2008b.

FELLINI, Federico. Fellini por Fellini: vida, obra e paixões do grande cineasta, contadas por ele mesmo. Porto Alegre: L&PM, 1983.

FRIGO, Rogério. Agora é lei: Nova Veneza é a capital nacional da gastronomia típica italiana. In: MAFIOLETE, Haudrey. Portal Veneza, Nova Veneza, 13 jun. 2018. Disponível em: https://www.portalveneza.com.br/agora-lei-nova-veneza-capital-nacional-gastronomia-tipica-italiana/. Acesso em: 21 abr. 2022.

FRÚGOLI JR., H.; TALHARI, J. C. Entre o tecido físico e social das cidades: entrevista com Sharon Zukin. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Bernardo do Campo, v. 29, n. 84, p. 7-24, fev. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v29n84/00.pdf. Acesso em: 3 fev. 2020.

GEVEHR, Daniel Luciano; BERTI, Franciele. Luxo e sofisticação nas vitrines da Borges: gentrificação comercial e turismo no espaço urbano de Gramado (RS). Caderno Virtual de Turismo, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p. 1-13, 2019.

GHELLERE, Franciele. In: CRITV. Nueva Venezia: ancora e sempre sorprendente. [S.l: s.n.], 2019, 1 vídeo (12 min.). Publicado pelo canal CriTV Criciúma. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=QgsZujXFmWE&t=8s . Acesso em: 10 jan. 2020.

GOFFMAN, Erving. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro, Zahar, 1982.

GUPTA, Akhil; FERGUSON, James. Mais além da “cultura”: espaço, identidade e política da diferença. In: ARANTES, Antônio (org.). O espaço da diferença. Campinas: Papirus, 2000. p. 30-49.

HARVEY, David. Condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992.

LEITE, Rogério Proença. Contra-usos e espaço público: notas sobre a construção social dos lugares na Mangetown. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Bernardo do Campo, v.17, n. 49, p. 1-22, 2002.

HALL, Stuart. Quem precisa da identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu da (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000. p. 103-133.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. De perto e de dentro: notas para uma etnografia urbana. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Bernardo do Campo, v. 17, n. 49, p. 11-29, jun. 2002.

MARQUES, Lucas. CULTURA Após restauração, gôndola será reaberta para visitação em Nova Veneza. SC Todo Dia, Nova Veneza, SC,, 8 abr. 2022. Disponível em: https://sctododia.com.br/cultura/apos-restauracao-gondola-sera-reaberta-para-visitacao-em-nova-veneza-9153. Acesso em: 19 abr. 2022.

NOVA VENEZA. Lei n. 13.678, de 13 de junho de 2018. Confere ao Município de Nova Veneza, no Estado de Santa Catarina, o título de Capital Nacional da Gastronomia Típica Italiana. Nova Veneza: Câmara Municipal, [2018]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2018/lei/l13678.htm#:~:text=LEI%20N%C2%BA%2013.678%2C%20DE%2013,Nacional%20da%20Gastronomia%20T%C3%ADpica%20Italiana. Acesso em: 10 mar. 2020.

PREIS JÚNIOR, Egar. Por trás das máscaras: a construção das representações étnicas em Nova Veneza – SC. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em História) – Universidade do Extremo Sul Catarinense, Criciúma, 2017.PROJETO da Rua Coberta de Nova Veneza é entregue ao prefeito Frigo. Portal Veneza, Nova Veneza, 21 mar. 2017. Disponível em: https://www.portalveneza.com.br/deinfra-ira-fazer-uma-nova-licitacao-trevo-caravaggio/. Acesso em: 10 jan. 2020.

RIGATTI, Décio. O turista, o morador e o uso do espaço urbano: interações espaciais em Gramado e Canela. Paisagem e Ambiente, São Paulo, n. 16, p. 69-107, 2002.

SÁNCHEZ, Fernanda. A reinvenção das cidades. 2. ed. Chapecó: Unochapecó, 2010. 555 p.

SÁNCHEZ, Fernanda. Políticas urbanas em renovação: uma leitura crítica dos modelos emergentes. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, São Paulo, n. 1, p. 115-132, 1999.

SOARES, Paulo Roberto. O renascimento urbano do Bom Fim: Sinais de gentrificação hipster em Porto Alegre? Revista Minha Cidade, Porto Alegre, ano 17, out. 2016.

ZUKIN, Sharon. Paisagens urbanas pós-modernas: mapeando cultura e poder. In: Antônio Arantes (org.). O espaço da diferença. Campinas: Papirus, 2000. p. 104-115.

WACQUANT, Loïc. Territorial stigmatization in the age of advanced marginality. Thesis Eleven, [s.l.], n. 91, p. 66-77, 2007.

Downloads

Publicado

2022-05-13

Como Citar

ALANO, N. D.; ALANO, N. D. Funiculí, Funiculà? A isca cultural da italianidade e o processo de gentrificação urbana no centro de Nova Veneza-SC. PerCursos, Florianópolis, v. 23, n. 51, p. 466 - 497, 2022. DOI: 10.5965/1984724623512022466. Disponível em: https://www.periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/20381. Acesso em: 10 ago. 2022.