A reiteração do assalto ao paraíso: pesca, pescadores e marisqueiras de Arembepe, Bahia

Autores

  • Fernanda Vera Cruz Silva-Meneses Prefeitura de Camaçari/BA
  • Patricia Carla Barbosa Pimentel Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC http://orcid.org/0000-0003-1680-9325
  • Marcelo Cesar Lima Peres UCSAL - Universidade Católica do Salvador

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724620422019225

Resumo

O presente artigo tem por objetivo analisar a tradição da pesca na comunidade pesqueira de Arempebe (BA) e, para isso, lançamos o olhar investigativo sobre a obra Assault on Paradise, do antropólogo americano Conrad Kottak que, na década de 1960, adotou essa localidade como seu campo de estudo. Trata-se de uma pesquisa de natureza etnobiológica e de abordagem qualitativa. Foram entrevistados 31 pescadores e marisqueiras com idade igual e maior a 40 anos e vinculados à colônia de pesca Z-14. Na comunidade pesqueira de Arembepe, o método de pesca é artesanal e a tradição mantém-se ao longo das gerações. A preservação dos traços culturais é presente na comunidade e mantém viva a memória sociobiocultural – interligando as dimensões social, biológica e cultural de um povo, associadas aos elementos da natureza. Percebe-se que o modelo de desenvolvimento econômico, em especial, a especulação imobiliária e o crescimento da Região Metropolitana de Salvador para o Litoral Norte, tem descaracterizado vilas de pescadores, determinando-as como ex-vilas, mesmo com a atividade, a rotina e a tradição da pesca artesanal presente no modo de vida dos moradores locais.

Palavras-chave: Pesca Artesanal. Pescadores – Arembepe (BA). Condiçoes sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Vera Cruz Silva-Meneses, Prefeitura de Camaçari/BA

Mestre em Planejamento Ambiental - UCSAL, Especialista em Gerenciamento Ambiental - UCSAL e em Ensino de Ciências e Matemática - UFRPE. Docente da Prefeitura de Camaçari/ BA

Patricia Carla Barbosa Pimentel, Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Católica do Salvador (2001), mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente pela Universidade Estadual de Santa Cruz (2005) e doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Estadual de Santa Cruz (2016). Atualmente é pesquisadora doutorado da Universidade Estadual de Santa Cruz, docente disciplina meio ambiente e sociedade da Faculdade da Cidade do Salvador, professor assistente da Universidade do Estado da Bahia, professor formador da Universidade do Estado da Bahia, docente disciplina digital da Faculdade de Tecnologia e Ciências e docente da Faculdade de Tecnologia e Ciências. Tem experiência na área de Ciências Ambientais, com ênfase em Gestão Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: meio ambiente, educação ambiental, percepção, ambiental, PNRS, desenvolvimento sustentável, conservação da biodiversidade, áreas protegidas e pobreza.

Marcelo Cesar Lima Peres, UCSAL - Universidade Católica do Salvador

Docente do Programa de Pós Graduação em Planejamento Ambiental, Líder do Grupo de Pesquisa - Centro de Ecologia e  Conservação Animal (ECOA), Universidade Católica do Salvador (UCSAL), Salvador, BA, Brasil.

Downloads

Publicado

2019-08-21

Como Citar

SILVA-MENESES, F. V. C.; PIMENTEL, P. C. B.; PERES, M. C. L. A reiteração do assalto ao paraíso: pesca, pescadores e marisqueiras de Arembepe, Bahia. PerCursos, Florianópolis, v. 20, n. 42, p. 225 - 252, 2019. DOI: 10.5965/1984724620422019225. Disponível em: https://www.periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/1984724620422019225. Acesso em: 16 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua