Uma história de mulheres: Svetlana Aleksiévitch e a disputa pela memória

Autores

  • Larissa Júlia Paludo Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)
  • Gerson Wasen Fraga Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724620422019105

Resumo

O artigo busca problematizar, através da obra A guerra não tem rosto de mulher, da ucraniana Svetlana Aleksiévitch, questões envolvendo a construção da memória, a oralidade e as relações de poder atreladas ao gênero. Assim, após uma breve introdução na qual nos deteremos sobre tópicos que envolvem a memória e a historiografia, partiremos para uma análise das memórias femininas trazidas na obra citada à luz da teoria, valendo-nos de conceitos como o de “memória subterrânea” a partir de Maurice Halbwachs e Michael Pollak em seu clássico trabalho Memória, Esquecimento e Silêncio, além de diálogos com outros teóricos que se ocupam da questão, como François Hartog, Pierre Nora e Alessandro Portelli. Em um terceiro momento, produziremos uma reflexão acerca das formas com que as memórias trazidas pela autora são atravessadas por questões de identidade e poder, promovendo um controle social e um discurso oficial a respeito destas.

Palavras-chave: Memória. Mulheres Segunda Guerra Mundial. Svetlana Aleksiévitch

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Júlia Paludo, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)

Jornalista pela Universidade de Passo Fundo (UPF). Mestranda do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Erechim.

Gerson Wasen Fraga, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)

Professor Associado I da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Erechim. Doutor em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Downloads

Publicado

2019-08-21

Como Citar

PALUDO, L. J.; FRAGA, G. W. Uma história de mulheres: Svetlana Aleksiévitch e a disputa pela memória. PerCursos, Florianópolis, v. 20, n. 42, p. 105 - 128, 2019. DOI: 10.5965/1984724620422019105. Disponível em: https://www.periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/1984724620422019105. Acesso em: 1 jul. 2022.