A potência do precário: restos curriculares em Leona Assassina Vingativa

Autores

  • Alexsandro Rodrigues Universidade Federal do Espírito Santo
  • Sérgio Rodrigo da Silva Ferreira Universidade Federal do Espírito Santo
  • Jésio Zamboni Universidade Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724614272013304

Resumo

Leona Assassina Vingativa, série que se tornou webhit, engendra-se como narrativa menor e dispara questões curriculares por outros modos de produção de subjetividades. Suas composições se valem do procedimento da bricolagem, que trata de inventar, a partir das formações culturais em circulação, uma arte produzida pelos sujeitos ordinários ao manipular improvisações entre tecnologias disponíveis e saberes dominantes, arranjando outros possíveis. Há uma potência do precário em Leona que consiste em equipar-se com poucos recursos para deturpar os clichês imagéticos. No ato de brincar, desenvolve um currículo menor como modo de pensar a condição do sujeito infante pela sua própria transformação. Ela brinca com nossas instituições e com nossas máquinas informáticas, produzindo contrassensos. Leona fabrica, por meio da paródia performática, um corpo imagético que consiste no entre-lugar de problematização dos espaços-tempos estabelecidos. Por fim, traçam-se linhas de uma subjetividade bicha que Leona ajuda a cortar e compor pelas tramas das tecnologias de controle combinadas às tecnologias do eu.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexsandro Rodrigues, Universidade Federal do Espírito Santo

Graduado em Pedagogia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Carangola, Mestre em Educação pela Universidade Federal Fluminense, Doutor em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo. Professor do Departamento de Teorias e Práticas Educacionais do Centro de Educação e Coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Sexualidades (GEPSs) e do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Sexualidade (NEPS) da Universidade Federal do Espírito Santo.

Sérgio Rodrigo da Silva Ferreira, Universidade Federal do Espírito Santo

Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, Mestre em Psicologia, Pesquisador do Laboratório de Pesquisa em Internet e Cultura (LABIC) e do Grupo de Estudos e Pesquisas em Sexualidades (GEPSs) pela Universidade Federal do Espírito Santo. Atua ainda na editoração de periódicos acadêmicos (a tempo/FAMES) e livros (FAMES e EDUFES)

Jésio Zamboni, Universidade Federal do Espírito Santo

Graduado em Psicologia, Mestre em Psicologia Institucional, Doutorando em Educação e Pesquisador do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Subjetividade e Políticas (NEPESP) e do Grupo de Estudos e Pesquisas em Sexualidades (GEPSs) pela Universidade Federal do Espírito Santo. Bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito Santo.

Downloads

Publicado

2014-02-28

Como Citar

RODRIGUES, A.; FERREIRA, S. R. da S.; ZAMBONI, J. A potência do precário: restos curriculares em Leona Assassina Vingativa. PerCursos, Florianópolis, v. 14, n. 27, p. 304 - 323, 2014. DOI: 10.5965/1984724614272013304. Disponível em: https://www.periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/1984724614272013304. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua