Família e cuidado em narrativas de vida marcadas pela ausência paterna

Autores

  • Sabrina Finamori Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu (Unicamp)

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724614272013087

Resumo

Partindo de narrativas de vida de filhos sem o reconhecimento legal de paternidade, o objetivo deste artigo é analisar o cuidado e a reprodução da vida doméstica através do ponto de vista desses filhos sobre as mulheres que se responsabilizaram por eles quando crianças. Se, por um lado, essas narrativas falam sobre a falta de direitos, representada pela ausência paterna, de outro, elas trazem também à luz as múltiplas figuras cuidadoras que constituíram o universo de parentesco dessas pessoas. Proponho assim uma reflexão sobre as relações entre gênero e parentesco através do modo como essas narrativas apresentam o não -reconhecimento de paternidade como uma fuga do pai da responsabilidade, as ambivalências de sentimentos em relação às atitudes das mães e como o parentesco é nelas constituído por meio do cuidado e da afeição. Levanto, por fim, a discussão sobre como as atuais leis e políticas públicas de reconhecimento de filiação podem levar à reafirmação de um modelo normativo de família e reinstituir, em alguma medida, o sofrimento associado à ausência paterna.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sabrina Finamori, Núcleo de Estudos de Gênero - Pagu (Unicamp)

Doutora em Ciências Sociais e Mestre em Antropologia Social pela Unicamp. Pesquisadora pós-doc no Núcleo de Estudos de Gênero – Pagu (Unicamp) com bolsa Fapesp.

Downloads

Publicado

2014-02-28

Como Citar

FINAMORI, S. Família e cuidado em narrativas de vida marcadas pela ausência paterna. PerCursos, Florianópolis, v. 14, n. 27, p. 87 - 115, 2014. DOI: 10.5965/1984724614272013087. Disponível em: https://www.periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/1984724614272013033087. Acesso em: 6 jul. 2022.