“O que importa é o que acontece com a sua família”: um diálogo entre família e migração

Autores

  • Roberta Guimarães Peres NEPO - Núcleo de Estudos de População

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724215282014146

Resumo

O cenário das migrações – internas e internacionais – no século 21 tem apresentado mudanças bastante significativas e novos desafios aos pesquisadores. Distâncias mais curtas, mudanças nas expectativas temporais e a composição de trajetórias migratórias mais complexas são algumas das transformações recentes no panorama das novas migrações. Há, no entanto, um ponto de intersecção nessas novas questões: as transformações nos papéis de gênero ao longo dos processos sociais migratórios, fundamentais para que se possa avançar teórica e metodologicamente nos estudos relativos ao fenômeno. É justamente no âmbito da família que essas transformações se expressam de forma mais clara. Neste sentido, este artigo tem como principal objetivo discutir as relações entre os estudos de gênero, família e migrações, buscando novos aportes que ajudem a captar, compreender e avançar em diferentes linhas de pesquisa. O conceito de “trajetórias migratórias” (SÁNCHEZ, 2012) é fundamental para reconstruir os fluxos migratórios desde a sua origem, passando por todas as etapas intermediárias até o local de destino. Além do caminho percorrido pelos migrantes, a recomposição das trajetórias traz à tona as mudanças experimentadas por homens e mulheres ao longo de seus projetos migratórios. Neste sentido, este trabalho contribui para o avanço teórico e metodológico dos estudos de migração. Palavras-chave: Migração internacional; gênero; família.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberta Guimarães Peres, NEPO - Núcleo de Estudos de População

Demógrafa, pesquisadora do Núcleo de Estudos de População da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Downloads

Publicado

2014-07-15

Como Citar

PERES, R. G. “O que importa é o que acontece com a sua família”: um diálogo entre família e migração. PerCursos, Florianópolis, v. 15, n. 28, p. 146 - 165, 2014. DOI: 10.5965/1984724215282014146. Disponível em: https://www.periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/1984724215282014146. Acesso em: 14 ago. 2022.