APRENDENDO A SER “BRANCO”: uma crítica ao conteúdo racista encontrado em Livros de Leitura da década de 1950<em>LEARNING TO BE "WHITE": a critique of racist content found in the Reading Books of the decade of 1950</em>

Autores

  • Marcelo Sabino Martins Secretaria de Segurança Pública do Estado de Santa Catarina

Resumo

O artigo analisa evidências de que a Educação Formal, via leitura, possa ter contribuído na divulgação de teorias racistas. Para tanto, analisa o conteúdo de textos de Livros de Leitura, congêneres do atual livro didático, utilizados pelas escolas públicas nacionais durante a década de 1950.
Palavras-Chave: Educação. Leitura. Racismo. História.

Abstract
The article examines evidence that the Formal Education, through reading, may have contributed in the dissemination of racist theories. For both, analyzes the content of text Reading Books, congeners of the current textbook, used by national public schools during the decade of 1950.
Keywords: Education. Reading. Racism. History.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Sabino Martins, Secretaria de Segurança Pública do Estado de Santa Catarina

Mestre em História pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade do Estado de Santa Catarina. Servidor da Secretaria de Segurança Pública do Estado de Santa Catarina.

Downloads

Publicado

2010-09-09

Como Citar

SABINO MARTINS, M. APRENDENDO A SER “BRANCO”: uma crítica ao conteúdo racista encontrado em Livros de Leitura da década de 1950<em>LEARNING TO BE "WHITE": a critique of racist content found in the Reading Books of the decade of 1950</em>. PerCursos, Florianópolis, v. 11, n. 1, p. 04 - 12, 2010. Disponível em: https://www.periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/1592. Acesso em: 25 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua