Olhares múltiplos: ateliê artístico e poético para/com professoras das infâncias – o encontro com a arte por meio das redes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/24471267932023032

Palavras-chave:

formação estética de professores, educação museal, educação e novas mídias, pandemia covid19

Resumo

Este artigo, baseado em uma pesquisa de Doutorado em Educação, narra os processos de uma proposta de formação estética para/com professoras da Educação Infantil, realizada em meio à pandemia da covid-19. A proposta, denominada “Olhares Múltiplos: ateliê artístico e poético”, desenvolvida por meio das redes sociais, a qual utilizou um dispositivo de mídia digital (podcast), foi fundamentada na concepção de museu como espaço de conhecimento e formação, nas abordagens (auto)biográficas e de histórias de vida e nos estudos sobre mediação cultural e formação docente. A investigação, em um movimento de diálogo entre escola e museu de arte, partiu da escuta de professoras da Educação Infantil que reivindicavam oportunidades de formação estética. A pesquisa mostrou que tecer redes virtuais com docentes, em diálogo com obras de arte do acervo de um museu, pode ser um dos caminhos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Simone Bibian, Universidade Federal Fluminense

Doutora e Mestra em Educação pela UFF, Pedagoga, Educadora do Museu Nacional de Belas Artes – RJ, escritora. Lattes: http://lattes.cnpq.br/2540510460150865; e-mail: simone.bibian@museus.gov.br

Luciana Esmeralda Ostetto, Universidade Federal Fluminense

Doutora em Educação (Unicamp), Professora do PPGEducação/UFF, líder do Círculo de estudo e pesquisa Formação de professores, Infância e Arte – FIAR. Lattes: http://lattes.cnpq.br/7470127128501920; e-mail: lucianaostetto@id.uff.br

Referências

BIBIAN, Simone. Crianças e professoras no museu: narrativas no encontro com a arte brasileira do século XIX. Orientadora: Luciana Esmeralda Ostetto. 2017. 167 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2017

BIBIAN, Simone. Professoras das infâncias e museus de arte: tecendo encontros, entrelaçando saberes na rede. 2022. 282f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2022.

ALVES, Rubem. A complicada arte de ver. Folha de S. Paulo, São Paulo, 20 out. 2004. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/folha/sinapse/ult1063u947.shtml. Acesso em: 18 out. 2023.

BARROS, Manoel. Meu quintal é maior que o mundo. Rio de Janeiro: Objetiva, 2015.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1987a. (Obras escolhidas, v. 1).

BENJAMIN, Walter. Rua de mão única. São Paulo: Brasiliense, 1987b. (Obras escolhidas, v. 2).

BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza. Histórias de vida e formação de professores/as: um olhar dirigido à literatura educacional. In: SOUZA, Elizeu Clementino de; MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio (org.). Histórias de vida e formação de professores. Rio de Janeiro: FAPERJ, 2008. p. 65-88.

BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza. Histórias de vida e formação de professores: diálogos entre Brasil e Portugal. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2012. E-book. Disponível em: https://books.scielo.org/id/f6qxr/pdf/braganca-9788575114698.pdf. Acesso em: 17 out. 2023.

BRASIL. Parecer nº 20, de 11 de novembro de 2009. Revisão das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: Conselho Nacional de Educação, Câmara de Educação Básica, [2009]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/pceb020_09.pdf. Acesso em: 17 out. 2023.

CARVALHO, Cristina. Quando a escola vai ao museu. Campinas: Papirus, 2016.

DELORY-MOMBERGER, Christine. A pesquisa biográfica ou a construção compartilhada de um saber do singular. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica, Salvador, v. 1, n. 1, p. 133-147, jan./abr. 2016. DOI: https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2016.v1.n1.p133-147

GABRE, Solange. Habitar o museu com a criança pequena: formação colaborativa como possibilidade. Curitiba: Appris, 2021.

HOLM, Anna Marie. Fazer e pensar arte. São Paulo: MAM, 2005.

HOLM, Anna Marie. Baby-art – os primeiros passos com a arte. São Paulo: MAM-SP, 2007.

JOSSO, Marie-Christine. História de vida e projeto: a história de vida como projeto e as “histórias de vida” a serviço de projetos. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 25, n. 2, p. 11-23, jul./dez. 1999. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-97021999000200002

MARTINS, Miriam Celeste; PICOSQUE, Gisa. Mediação Cultural para professores andarilhos na cultura. 2. ed. São Paulo: Intermeios, 2012.

OSTETTO, Luciana Esmeralda; KOLB-BERNARDES, Rosvita. Modos de falar de si: a dimensão estética nas narrativas autobiográficas. Pro-Posições, v. 26, n. 1(76), p. 161-178, abr. 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/0103-7307201507611

PASSEGGI, Maria da Conceição. A experiência em formação. Educação, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 147-156, maio/ago. 2011. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/8697. Acesso em: 17 out. 2023.

PASSEGGI, Maria da Conceição. Narrativas da experiência na pesquisa-formação: do sujeito epistêmico ao sujeito biográfico. Roteiro, Joaçaba, v. 41, n. 1, p. 67-86, jan./abr. 2016. DOI: https://doi.org/10.18593/r.v41i1.9267

Downloads

Publicado

2024-01-04

Como Citar

BIBIAN, Simone; OSTETTO, Luciana Esmeralda. Olhares múltiplos: ateliê artístico e poético para/com professoras das infâncias – o encontro com a arte por meio das redes. Revista Apotheke, Florianópolis, v. 9, n. 3, p. 032–049, 2024. DOI: 10.5965/24471267932023032. Disponível em: https://www.periodicos.udesc.br/index.php/apotheke/article/view/24590. Acesso em: 23 jun. 2024.