Erosões no rosto da linguagem

Autores

  • Manoel Moacir Rocha Farias Junior Rede municipal de Aquiraz

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101502024e0802

Palavras-chave:

Artaud, filosofia, corpo

Resumo

Esta resenha buscou mostrar as principais ideias do estudo de Uno sobre a poética de Artaud. Observou-se que Uno faz um intenso diálogo com conceitos de filosofia, como os de corpo sem órgãos e variação contínua, presentes sobretudo na obra de Deleuze e Guattari. Objetivou-se mostrar a atualidade do pensamento de Artaud, sua visão sobre uma política do corpo, seus ecos na cena artística e filosófica.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manoel Moacir Rocha Farias Junior, Rede municipal de Aquiraz

Doutorado em Artes Cênicas pela Universidade de São Paulo (USP). Mestrado em Artes Cênicas pela USP. Especialização em Docência no Ensino Superior pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Graduação em Letras – português e inglês pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Professor de inglês na rede municipal de Aquiraz.

Referências

DELEUZE, Gilles E GUATTARI, Félix. Como criar para si um corpo sem órgãos? In: Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1996.

KIFFER, Ana Paula Veiga. Correspondência fabulatória – entre Ana K. e A. Artaud. Vazantes – Revista do Programa de Pós-graduação em Artes, Fortaleza, v. 2, n. 1, p.105-116, 2018.

UNO, Kuniichi. Artaud: pensamento e corpo. São Paulo: N-1 edições, 2022.

Publicado

2024-04-28

Como Citar

FARIAS JUNIOR, Manoel Moacir Rocha. Erosões no rosto da linguagem. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 50, p. 1–8, 2024. DOI: 10.5965/1414573101502024e0802. Disponível em: https://www.periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/25255. Acesso em: 12 jun. 2024.