Movimento sindical docente na Universidade Federal do Amapá: condições locais e articulações nacionais na construção da greve de 2012

Autores

  • André Rodrigues Guimarães UNIFAP – Macapá – AP
  • Iuri Cavlak UNIFESP
  • Yurgel Pantoja Caldas UNIFAP – Macapá – AP

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984723823522022113

Palavras-chave:

greve, sindicalismo docente, ANDES, Sindufap

Resumo

Neste artigo analisa-se o movimento sindical docente na Universidade Federal do Amapá (Unifap), destacando o envolvimento com a construção da greve nacional da categoria, em 2012. Consideram-se o contexto nacional da deflagração da greve protagonizada pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN), o processo de mobilização, a pauta de reivindicações e o desfecho do movimento. Destacam-se aspectos históricos da Unifap, com ênfase na criação do Sindicato dos Docentes da Unifap, em 1994, e sua vinculação ao ANDES-SN, como Seção Sindical, em 2002. Informações empíricas foram obtidas via questionário aberto, respondido por docentes que participaram da greve e atuaram como dirigentes do Sindufap no período 2012-2020, para identificar o envolvimento com o movimento grevista, a mobilização local, a articulação com a luta nacional, o desfecho e o balanço da paralisação. Identifica-se que as precárias condições de trabalho e a defesa pela reestruturação da carreira foram elementos centrais na adesão ao movimento paredista, evidenciando articulação entre as demandas locais e a reivindicação nacional. O envolvimento do Sindufap com a greve foi ativo e mobilizador, fazendo do movimento um importante espaço de formação política. Em relação ao desfecho, percebe-se avaliação negativa em relação ao atendimento da pauta grevista, mas positiva em seu balanço político. Em suma, a experiência local da greve de 2012 foi extraordinária: as assembleias e os atos com grande participação da categoria, somados à união na luta com estudantes e técnico-administrativos, eletrizaram a categoria, na esperança de que uma mudança efetiva estivesse no horizonte possível da força coletiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDES-SN. Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior. Circular 129/2012, 14 de maio de 2012. Brasília: ANDES-SN, 2012a.

ANDES-SN. Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior. InformANDES: informativo n. 13, agosto de 2012. Brasília: ANDES-SN, 2012b.

ANDES-SN. Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior. Circular 211/2012, 27 de setembro de 2012. Brasília: ANDES-SN, 2012c.

ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

BOITO JÚNIOR, Armando. Política neoliberal e sindicalismo no Brasil. São Paulo: Xamã, 1999.

CHAVES, Vera Lúcia Jacob; GUIMARÃES, André Rodrigues. Repercussões da crise do capital no trabalho do docente da universidade pública brasileira. Poiésis, Tubarão, v. 9, n. 16, p. 297-312, jul./dez. 2015. Disponível em: https://portaldeperiodicos.animaeducacao.com.br/index.php/Poiesis/article/view/3259. Acesso em: 12 dez. 2021.

CORSI, Francisco Luiz. A política econômica do governo Dilma: baixo crescimento e recessão. Novos Rumos, Marília, v. 53, n. 1, 2016, p. 1-13, jun. 2016, Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/novosrumos/article/view/8495. Acesso em: 10 dez. 2021.

DAL ROSSO, Sadi (org.). Associativismo e sindicalismo em educação: organização e lutas. Brasília: Paralelo 15, 2011.

DOCENTE A. [Registro em questionário da pesquisa]: pesquisa com docentes dirigentes sindicais na Unifap sobre a greve da categoria realizada em 2012. Macapá, 10 fev. 2022.

DOCENTE B. [Registro em questionário da pesquisa]: pesquisa com docentes dirigentes sindicais na Unifap sobre a greve da categoria realizada em 2012. Macapá, 02 fev. 2022.

DOCENTE C. [Registro em questionário da pesquisa]: pesquisa com docentes dirigentes sindicais na Unifap sobre a greve da categoria realizada em 2012. Macapá, 08 fev. 2022.

FRANCO, Maria Laura Puglisi Barbosa. Análise de conteúdo. Brasília: Liber Livro, 2005.

GENTIL, Denise; HERMANN, Jennifer. A política fiscal do primeiro governo Dilma Rousseff: ortodoxia e retrocesso. Economia e Sociedade, Campinas, v. 26, n. 3, p. 793-816, dez. 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ecos/a/hTt6P75FccxwCBJGnrv3VLF/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 15 dez. 2021.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere: introdução ao estudo da filosofia; a filosofia de Benedetto Croce. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999. v. 1.

GUIMARÃES, André Rodrigues; MAUÉS, Olgaíses Cabral. Ensino remoto na educação superior pública. RTPS - Revista Trabalho, Política e Sociedade, Rio de Janeiro, v. 6, n. 10, p. 155-174, 30 jun. 2021. Disponível em: http://costalima.ufrrj.br/index.php/RTPS/article/view/827. Acesso em: 14 jan. 2022.

GUIMARÃES, André Rodrigues; MELO, André Lins de; NOVAIS, Valéria Silva de Moraes. Expansão da educação superior no Pará e Amapá: o público e o privado em questão. In: REUNIÃO NACIONAL ANPED, 38, São Luis, 2017. Anais [...]. São Luis: Anped, 2017. Disponível em: http://38reuniao.anped.org.br/sites/default/files/resources/programacao/trabalho_38anped_2017_GT11_1163.pdf. Acesso em: 12 fev. 2022.

GUIMARÃES, André Rodrigues; SILVA, Michele Karoline Pereira. Movimento docente universitário no Brasil: análise das greves nacionais do ANDES-SN (1980-2020). In: MELO, Savana Diniz Gomes; MARI, Cesar Luiz. Da escola básica à universidade: o trabalho docente e a educação sob pressões. Curitiba: Appris, 2021. p. 252-278.

MANCEBO, Deise. Trabalho docente na educação superior: problematizando a luta. In: DAL ROSSO, Sadi (org.). Associativismo e sindicalismo em educação: organização e lutas. Brasília: Paralelo 15, 2011. p. 69-88.

MANCEBO, Deise; VALE, Andrea Araujo do; MARTINS, Tania Barbosa. Políticas de expansão da educação superior no Brasil: 1995-2010. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 20, n. 60, p. 31-50, jan./mar. 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/v20n60/1413-2478-rbedu-20-60-0031.pdf. Acesso em: 2 jul. 2021.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

MARX, Karl. Papel econômico imediato dos sindicatos. In: AGUENA, P. O marxismo e os sindicatos: Marx, Engels, Lenin e Trotsky. São Paulo: Sundermann, 2008. P. 63-64.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas. São Paulo: Boitempo, 2007.

MAUÉS, Olgaíses Cabral; OLIVEIRA, Marinalva; COSTA, Arley José Silveira. Educação superior no Amapá: 1992-2004. In: INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Educação superior brasileira 1991-2004: Amapá. Brasília: INEP, 2006. p. 22-84.

MONTE, Emerson Duarte. Políticas públicas de carreira docente nas universidades federais. 2015. Tese (Doutorado em Educação) − Programa de Pós-graduação em Educação. UFPA, Belém, 2015.

MORAES, Roque. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32, 1999.

NAVARRO, Ignez Pinto. ANDES-SN: um sindicato de intelectuais, história e memória (1981-1994). Cuiabá: Adufmat: Prisma, 2001.

REIS, Luiz Fernando; MACÁRIO, Epitácio. Dívida pública e financiamento das Universidades Federais e da Ciência e Tecnologia no Brasil (2003-2020). Práxis Educacional, [S. l.], v. 16, n. 41, p. 20-46, 2020. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/7243. Acesso em: 27 fev. 2022.

SAAD FILHO, Alfredo; MORAIS, Lecio. Brasil: neoliberalismo versus democracia. São Paulo: Boitempo, 2018.

SANTOS, José Almir Brito; GUIMARÃES, André Rodrigues Guimarães. Pós-graduação na Universidade Federal do Amapá: instituição de programas e expansão de matrículas. In: SILVA, Lúcia Isabel da Conceição; ARAÚJO, Sônia Maria da Silva (org.). Diversidade cultural e formação reflexões para a educação. Curitiba: Appris, 2021.

SILVA, Michele Karoline Pereira. Sindicalismo docente universitário: formação política de dirigentes do Sindicato dos Docentes da Universidade Federal do Amapá (1994-2018). 2019. Dissertação (Mestrado em Educação) − Programa de Pós-graduação em Educação. Unifap, Macapá, 2019.

SILVA, Michele Karoline Pereira; GUIMARÃES, André Rodrigues. Concepções, aproximações e afastamentos de docentes universitários em relação ao movimento sindical. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, v. 28 n. 16, e16, jan. 2020. https://doi.org/10.14507/epaa.28.4934

UNIFAP. Universidade Federal do Amapá. Plano de desenvolvimento institucional (PDI): 2010-2014. Macapá: Unifap, 2010.

UNIFAP. Universidade Federal do Amapá. Plano de desenvolvimento institucional: 2015-2019. Macapá: Unifap, 2015.

Downloads

Publicado

2022-08-19

Como Citar

GUIMARÃES, A. R. .; CAVLAK, I. .; CALDAS, Y. P. . Movimento sindical docente na Universidade Federal do Amapá: condições locais e articulações nacionais na construção da greve de 2012. Revista Linhas, Florianópolis, v. 23, n. 52, p. 113 - 140, 2022. DOI: 10.5965/1984723823522022113. Disponível em: https://www.periodicos.udesc.br/index.php/linhas/article/view/22488. Acesso em: 28 nov. 2022.