A avaliação da Educação Infantil na rede municipal de ensino de Florianópolis: implicações da avaliação conduzida em 2015 com o uso da escala ITERS-R

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984723823512022281

Palavras-chave:

avaliação externa, ITERS-R, educação infantil, qualidade no atendimento

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar as ações propostas e executadas pelos Núcleos de Educação Infantil Municipal (NEIMs) de Florianópolis após a devolutiva dos resultados da avaliação externa realizada em 2015 com o uso do instrumento Infant Toddler Environment Rating Scale Revise Edition (ITERS-R), bem como diagnosticar a situação atual dos Núcleos de Educação Infantil quanto à qualidade do atendimento. Para isso, desenvolveu-se, com base na literatura e nos documentos oficiais, um instrumento de pesquisa em forma de questionário composto por 27 indicadores, o questionário foi validado por especialistas da área e aplicado nos NEIMs de Florianópolis que passaram pela avaliação em 2015, sendo respondido voluntariamente pelas diretoras das unidades. Os resultados mostraram que, após a devolutiva da avaliação de 2015, os núcleos propuseram e executaram uma série de melhorias com vistas a qualificar o atendimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tagma Angélica Nilson Becker, Universidade Federal de Santa Catarina

Formada em Ciências Contábeis pela Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI (2000), Graduada em Pedagogia pela Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI (2012) e Especialista em Educação Infantil pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC (2013). Mestre em Gestão e Avaliação pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC (2020). Atua na Secretaria Municipal de Educação de Florianópolis no Departamento de Gestão escolar (DGE).

Andreia Zanella, Universidade Federal de Santa Catarina

Graduada em Matemática pela Universidade de Passo Fundo (2004) e especialista em Estatística e Modelagem Quantitativa pela Universidade Federal de Santa Maria (2006). Em 2008, recebeu o grau de mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Maria. Em 2014, recebeu o grau de doutora em Engenharia Industrial e Gestão pela Faculdade Engenharia da Universidade do Porto. Trabalhou como professora substituta no Departamento de Estatística da Universidade Federal de Santa Maria entre 2007 e 2009. Foi professora assistente convidada e bolsista de pós-doutorado na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Atualmente é Professora Adjunta no Departamento de Informática e Estatística da Universidade Federal de Santa Catarina

Referências

BHERING, Eliana; ABUCHAIM, Beatriz de Oliveira. Monitoramento da educação infantil pública: possibilidades e conteúdos. Estudos em avaliação Educacional, São Paulo, v. 25, n. 58, p. 74-99, maio/ago. 2014.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Presidência da República, 1988.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Brasília, DF: Presidência da República, 1990.

BRASIL. Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, p. 63, 23 dez. 1996.

BRASIL. Política Nacional de Educação Infantil: pelo direito das crianças de zero a seis anos à Educação. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2006b.

BRASIL. Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Educação Infantil. Brasília, DF: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006a. v. 1-2.

BRASIL. Indicadores da Qualidade na Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2009a.

BRASIL. Critérios para um Atendimento em Creches que Respeite os Direitos Fundamentais das Crianças. Brasília: MEC/SEB, 2009b.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação, Câmara de Educação Básica. Resolução no 5, de 17 de dezembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 dez. 2009c.

BRASIL. Educação Infantil: subsídios para construção de uma sistemática de avaliação. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2012.

BRASIL. Plano Nacional de Educação 2014-2024. Brasília, DF: Senado Federal, 2014.

BRASIL. Contribuições para a Política Nacional: a avaliação em educação infantil a partir da avaliação de contexto. Brasília, DF: MEC/SEB/COEDI, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 271, de 22 de março de 2019. Estabelece as diretrizes de realização do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB) no ano de 2019. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 25 mar. 2019.

BRONFENBRENNER, Urie. (org.). Making humans being human: bioecological perspectives on human development. Thousand Oaks: Sage Publications, 2005.

CAMPOS, Maria Malta (coord.). Educação infantil no Brasil: avaliação qualitativa e quantitativa. São Paulo: FCC; MEC; BID, 2010. (Relatório Final).

CAMPOS, Maria Malta et al. A qualidade da educação infantil: um estudo em seis capitais Brasileiras. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. 142, p. 20-54, jan./abr. 2011.

FLORIANÓPOLIS. Secretaria Municipal de Educação. Resultados da Avaliação para as Unidades Educativas. Florianópolis: SME, 2016. (Relatório final).

HARMS, Telma; CRYER, Debby; CLIFFORD, Richard. Infant/toddler environment rating scale. New York: Teachers College, 2003.

LEONTIEV, Alexis Nikolaevich. Os princípios psicológicos da brincadeira pré-escolar. In: VIGOTSKII, Leontiev Semionovitch; LURIA, Alexander Romanovich; LEONTIEV, Alexis Nikolaevich. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 1999. p. 119-142.

LIMA, Ana Beatriz Rocha; BHERING, Eliana. Um estudo sobre creches como ambientes de desenvolvimento. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 129, p. 573-596, 2006.

LORDELO, Eulina da Rocha. “Agora vá com a tia que a mamãe vem mais tarde:” creche como contexto brasileiro de desenvolvimento. In: Lordelo, Eulina da Rocha; Carvalho, Ana Maria Almeida; Koller, Silvia Helena (orgs.). Infância brasileira e contextos de desenvolvimento. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002. p. 77-98.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da Aprendizagem na Escola. In: LIBÂNEO, José Carlos; ALVES, Nilda (org.). Temas de pedagogia: diálogos entre didática e currículo. São Paulo: Cortez, 2012. p. 440-441.

ROSEMBERG, Fúlvia. O estado dos dados para avaliar políticas de educação infantil. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, n. 20, p. 5-57, jul./dez., 1999.

ZABALZA, Miguel. Qualidade em educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Downloads

Publicado

2022-05-05

Como Citar

BECKER, T. A. N.; ZANELLA, A. A avaliação da Educação Infantil na rede municipal de ensino de Florianópolis: implicações da avaliação conduzida em 2015 com o uso da escala ITERS-R . Revista Linhas, Florianópolis, v. 23, n. 51, p. 281 - 314, 2022. DOI: 10.5965/1984723823512022281. Disponível em: https://www.periodicos.udesc.br/index.php/linhas/article/view/18559. Acesso em: 14 ago. 2022.