A dramaturgia do teatro de marionetas hoje: modos de fazer e modos de ver

Autores

  • Christine Zurbach Universidade de Évora (Portugal)

DOI:

https://doi.org/10.5965/2595034701082011092

Resumo

A dramaturgia é um conceito-chave na metalinguagem dos estudos de teatro.
No sentido convencional do termo, sabe-se que designa um campo decisivo na
construção do espectáculo teatral, enquanto prática de leitura do texto em articulação com a sua passagem para a cena. Pouco adequado à identidade artística do teatro da marioneta clássica ou tradicional focalizado na marioneta, o termo parece ter ganho uma efetiva pertinência na nossa época, em que o teatro de marionetas passou a integrar as mudanças do teatro contemporâneo.

Palavras-chave: Dramaturgia; texto; marionetas.


Abstract: Dramaturgy is a key-concept in the meta-language of Theatre Studies. It is conventional understood as an essential field in the construction of a theatre performance, as a practice of reading of text in articulation with its passage to the scene. Given that it is unsuitable to the artistic identity of classical or traditional puppet theatre focused on the puppet, the term seems to have earned real importance since puppet theatre has incorporated the man changes found in contemporary theatre.

Key-words: Dramaturgy; text; puppetry.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Christine Zurbach, Universidade de Évora (Portugal)

Doutora em Literatura Comparada e Estudos de Tradução. Dramaturgista, crítica teatral e pesquisadora do Teatro de Marionetes e História do Teatro Português. Autora de: Teatro de Marionetas: tradição e modernidade (2002) e Autos, Passos e Bailinhos: Os textos dos Bonecos de Santo Aleixo (2007). Atualmente é Professora no Centro de História da Arte e Investigação Artística da Universidade de Évora - Portugal.

Downloads

Publicado

2018-04-03

Como Citar

ZURBACH, C. A dramaturgia do teatro de marionetas hoje: modos de fazer e modos de ver. Móin-Móin - Revista de Estudos sobre Teatro de Formas Animadas, Florianópolis, v. 1, n. 08, p. 092-106, 2018. DOI: 10.5965/2595034701082011092. Disponível em: https://www.periodicos.udesc.br/index.php/moin/article/view/1059652595034701082011092. Acesso em: 25 set. 2022.